|
|

Um Desafio de Natal: Um Conto de Natal.

Dezembro  2009 / 18 5 Comments


  • Vasco… Que bem que se escreve por aqui! Uma narrativa a um tempo crua e doce. Crua pela análise frontal de uns certos natais semelhantes de que tenho conhecimento por interpostas pessoas e doce pela mestria e sensibilidade numa narrativa que nos prende do princípio ao fim…

  • Um olhar de uma infância que não é a nossa, que talvez esteja um tanto “idealizada” pelas lembranças dos anos.Enfim…

  • Obrigada, Vasco por ter aceite meu desafio. Gostei bastante do resultado final. Ideia bem conseguida. Tenho colega!!
    Um abraço,
    Ana Martins

  • Obrigado pelas vossas palavras Luís e Ana Motta.
    Especial menção a Ana Martins pela ideia de criar este desafio.
    Recomendo a leitura dos textos des autores. Os links estão no fim do deste conto.

  • Luís, (com sua licença, Vasco…)

    não chamaria a este conto uma narrativa crua e doce. Não a acho assim tão crua nem tão doce. Estampa-nos um sorriso logo de início que descamba no riso ao *Centelhantes*, acorda-nos emoções sentidas ou relatadas que vivem num recanto do sotão das nossas memórias, do sombrio ao ensolarado num entrelaçar bem meneado, mas desde o princípio aparece de mansinho a força de uma dor calada só mais tarde na vida compreendida.
    Luís, ao adjectivar de *crua* e *doce*, a um tempo juntaria *sentida*, mas teriam forçosamente estar tecidas numa bela trança.
    o vénia
    Luís, mas concordo em absoluto com
    “Vasco… Que bem que se escreve por aqui!”, e pergunto:
    o senhor psicólogo terá noção que escreve tão bem? Olhe que eu continuo a desafiá-lo a escrever ficção!
    Hummm, já não aos se7e, mas a si, Vasco, o desafio segue no Ano Novo…

Leave a reply

Your email address will not be published. Website Field Is Optional